"Tu te tornas eternamente responsável por aquilo que cativas"A-Antoine de Saint-Exupéry
Exupéry

quinta-feira, 13 de dezembro de 2007

CHEGA DE VIOLÊNCIA DOMÉSTICA!

É gente, tá perto do Natal, e essa data, ou até o mês levam as pessoas a refletirem mais sobre a vida, sobre os outros, a ter mais compaixão. Só que acho que isso não acontece com todos, porque mesmo nessa época há violência que a gente vê sempre na TV, mortes, espancamentos, violência doméstica, assaltos etc...
Esse meu Natal esse ano não vai ter o mesmo encanto, pois todos aqui em casa perdemos uma pessoa muito querida nesta terça feira, dia 11/12. Era uma moça com seus 29 anos que era trabalhadora, tinha dois filhos pequenos, vivia e batalhava todos os dias para eles, para dar uma vida melhor. Empurrava um carro pesado na areia da praia para vender bebidas, churrascos, água de côco, nos fins de semana e feriados. E nos outros dias da semana trabalhava como diarista em pelo menos 3 ou 4 casas diferentes. Inclusive aqui em casa. Já a conhecíamos a quase 5 anos. Saía de uma casa de aluguel para outra, quando minha família teve a idéia de coloca-la junto com o marido na casa de praia da família, como moradores, para ter alguém sempre lá, guardado e zelando pela casa. Sem pagar IPTU, água e luz, ela viveu bem melhor, mas sempre batalhando na praia para comprar um um terreno e construir uma casinha. Amou apenas um homem na vida dela, seu marido, que vivia a 11 anos com ele. Fugiu de casa no interior para viver a vida com ele. E depois de um tempo, parece que algo desandou, e ela trabalhou por ele.




Já foi agredida mais de uma vez mas sempre pensando nos filhos. A gota d´água foi neste domingo (9/12) quando ela não aguentou mais, depois de uma surra dada pelas costas.Ele pediu desculpas e pediu um tempo para vender umas coisas e sair. Ela deu um prazo até sexta para ele sair de casa. Ela nao deu queixa na delegacia de mulheres, com medo dele fazer alguma coisa contra ela. Na terça, saindo do trabalho aqui em casa e indo estudar feliz da vida por saber que logo ia ter sua casinha construida e que ia concluir seu primeiro ano de escola depois de muito tempo sem estudar, foi esfaqueada pelas costas pelo próprio marido que a esperava no caminho da escola. Correu até uma igreja quando ele a apunhalou mais umas 8 vezes. Foi socorrida pelos moradores da praia, e ele fugiu covardemente. A população o pegou, ele foi parar na cadeia. Ela chegou ainda viva no hospital, implorando para os médicos a salvarem, pois tinha 2 filhos para criar. Às 22:00hs e pouco, não aguentou e faleceu. Ele na cadeia, no dia seguinte deu depoimento para os jornais dizendo que a matou por ciumes, já que ela estava estranha a dois meses, pensando que estava traindo ele com um cobrador de alternativo. Estranha a dois meses, só porque sua alto estima melhorou, passou a se cuidar mais... Homens...

Fofocas de gente que quer ver os outros mal fizeram ele pensar isso, nem certeza ele tinha para cometer tamanha brutalidade. E mesmo que fosse verdade não é desculpa para tirar a vida alheia. Agora eu me pergunto, será que faria diferença na última surra que ela levou por nada, ela ter ido procurar a delegacia da mulher? Ele ia ser preso logo e ficar na cadeia ou ia se soltar e fazer a mesma coisa? Se ele não tivesse sido pego pela população será que ele na loucura iria matar os filhos tb e se matar como o de costume? Matar por amor? Não acredito que seja amor, ele iria perder tudo se a deixasse, a mordomia, a casa que não estava no nome dele, ela ... Acho que para ele não importava mais, e o ciume também o cegou.

Não desejo mal a ninguém, mas espero que ele pague por tudo que fez, e que a justiça dos homens não o solte e faça jus ao nome. E a justiça de Deus deixe a minha amiga descansar em paz, e não se preocupar, que os filhos estão bem com a família dela. E que a casa que ela estava construindo sirva para eles no futuro.




Mais uma mulher vítima de violência doméstica. O estranho é que isso é costume se ouvir, mas quando é com um conhecido nosso, parece que o chão da gente desaparece, e nos perguntamos até quando isso vai continuar acontecendo. Será que podemos contar com a colaboração da polícia e com a lei para deixar em segurança as mulheres espancadas? Não sei... Só sei que até agora a ficha tá caindo, parece que não aconteceu com ela, parece que foi com alguém desconhecido. MAis fácil para mim se isso fosse verdade, mas não é. A realidade é essa, nua e crua. Foi com ela, e pode ser com qualquer um! NA primeira tapa, ela deveria ter saído do relacionamento, mas o amor e o medo, mais a preocupação de criar os filhos junto com o marido a fez várias e várias vezes continuar vivendo com ele. O que acontece com muita gente.

Fica aqui meu apelo a justiça, que seja cumprida, que zele pelas pessoas de bem, trabalhadoras, e não fique só no papel. Que a violência doméstica seja tratada com mais respeito, pois sempre há uma vítima, e muitas vezes fatal. E que esses agressores e assassinos fiquem muito e muito tempo na cadeia. Uma cadeia que muitas vezes é até bom para alguns que tem preguiça de trabalhar. Que se torne uma cadeia para esses presos trabalharem por cada prato de comida. Isso é o que eu acho justo. Que se saírem, saiam melhores e não piores. Fica aqui meu pedido de Natal para o Papai Noel! Espero que um dia seja atendido pois desde pequena rezo pela paz!

PAZ e AMOR para TODOS!


12 comentários:

Aninha Pontes disse...

Ingrid minha linda, é uma pena que as pessoas só vejam o natal em dezembro.
Quando se o natal fosse todos os dias, tragédias e tristezas como essas não aconteceriam.
É uma pena quando vemos o quanto as pessoas estão desnorteadas, sem rumo, e ceifam vidas assim, como se fossem ervas danibhas a serem exterminadas.
Triste.
Muito triste.
Tentei colocar minha foto no seu guestbook, mas não consegui, ele não me dá opção de concluir.
Um beijo querida.

vivi disse...

Nossa que história mais triste...Covarde!

Sinceramente nãos ei como um ser humano mata o outro comos e mata barata, sem medo, nem piedade, nada...somente ódio.

Que essa moça encontre a paz onde quer q ela esteja e que os filhos cresçam e sejam boas pessoas.

Bjokas

Relapso disse...

Oi Ingrid, saudades de vir aqui assim como nos outros blogs q gosto...
Menina, triste muito triste mesmo tudo isso, saber q não é um caso inventado que aconteceu e com pessoas assim tão próximas... isso choca.
Mas, não sei mesmo se ela tivesse denunciado antes ele teria ficado preso, a situação humana está deplorável.
Eu acredito mais é numa coisa,
à primeira ameça (para mim não precisa sequer acontecer, basta uma ameaça) de violência, eu acredito que a pessoa deva desistir do outro, não acredito na recuperação de um agressor.
Mas geralmente é ao contrário, existe o "perdão" e as "desculpas" e dá-se oportunidade de acontecer cada dia outra vez.

beijo querida.

Meiroca disse...

Ai que triste isso Guinga.
Ja' tinhamos falado a respeito, agora temos q rezar pelos filhos ficarem bem.

Bjs

apoiofraterno disse...

Coisa de primata! Pena que as pessoas ainda hajam desse modo. Triste isso. Bom domingo!

Maitê disse...

Essas coisas me assutam. As autoridades deveriam fazer alguma coisa sobre isso. E os homens, bem, esses deveriam aprender que as mulheres merecem respeito, que eleas merecem ser felizes e que elas não são propriedades deles. Me emocionei muito ao ler teu texto. É uma barbaridade que isso anda aconteça. AInd amais com uma mãe de dois filhos. Será que esse cara não percebe o mal que ele fez aos filhos dele? Bjos

Ronald disse...

pois é cara Ingrid, ainda existe e muito pessoas covardes e sem escrupulos que fazem tamanha barbaridade. a troco do que meu Deus?

Que as crianças sejam eternamente guiadas pelas mãos do criador.

Uma ótima semana à você.

Bjs

vivi disse...

Amiga, parabéns pelo Doutorado ;)
Vais fazer onde?
Bjokas

lgresende disse...

Chega de violência em todos os campos, começando pelo doméstico. Há outras formas de resolver conflitos além de se apelar para a violência e é a eles que devemos recorrer.

Elza disse...

Violencia silenciosa...um tragedia que infelizmente acontece mais do que imaginamos, vamos rezar pelo fim disso!


=]

Lara Lírica disse...

Olá Ingrid. Que momento difícil essa moça viveu. A violência doméstica precisa ser revelada e denunciada cada vez mais. Parabéns pelo seu texto. Espero que esteja tudo bem com você. Passo por aqui para te desejar boas festas, um 2008 com muita coisa boa e também para agradecer a sua presença no meu blog em 2007. Um abraço!

STOP a violencia! disse...

e horrivel historias como esta, mas por muito que nós nao queiramos elas existem, mas nos acreditamos que podemo ajudar a parar este drama, por isso criamos este blog:
http://stopaviolencia.blogspot.com
este blog foi feito a pensar em todas as mulheres que sofrem de maus tratos. VISITEM!!!
beijinhos para o Brasil
eu sou portuguesa!