"Tu te tornas eternamente responsável por aquilo que cativas"A-Antoine de Saint-Exupéry
Exupéry

domingo, 12 de janeiro de 2014

Viver - poesia dedicada à lembrança da minha querida avó Alba Accioly

Esta poesia eu fiz quando tinha uns 16 anos, e estava sempre fazendo poesias dos sentimentos que sentia. Nesse dia, fiquei inspirada quando soube do falecimento da minha querida avó Alba Accioly, uma grande mãe, irmã, tia,  avó, sogra e costureira de primeira!! Sempre tão sorridente e cheia de histórias para contar. Com certeza ela viveu a vida dela intensamente... Saudades dela...

Viver

Viver nesta terra abençoada 
Com a qual não se quer nada
A não ser felicidade, paz e amizade
Entre as pessoas que nela estão
Então? Como vai ser a vida até a morte?
Para morrer só precisa estar vivo
Mas o que há de fazer até lá?
A vida seria uma prova, uma porta
Um caminho para o paraíso eterno
Mas é preciso respeitá-lá, amá-la e vivê-la intensamente
Para que o espírito se satisfaça eternamente...

Ingrid Vilar Accioly

2 comentários:

Luma Rosa disse...

Oi, Ingrid!
Bacana você tão novinha ser tão consciente quanto a vida e a morte.
Hoje estava conversando em casa como algumas características nossas são genéticas e passam de geração a geração. Certamente a sua avó lhe passou muitas coisas boas.
Fiquei feliz com o seu comentário!! :=))
Beijus,

Ingrid Accioly disse...

Obrigada Luma pela visita. Realmente eu tinha uma sensibilidade em escrever sobre sentimentos, mas não acredito q ninguém saiba tudo da vida ou da morte. Foi só um devaneio q veio a minha cabeça na época. Quanto a minha vó, acredito que além da genética, ela tenha passado valores, que me vieram diretamente dela, ou do meu pai ( filho dela). E há manias, modos de ver a vida, jeito de ser q realmente lembram os nossos avós, tios ou pais. Não sei se pela convivência ou se há algo genético também. Sei q ela era uma grande costureira, e tinha habilidades manuais como pintura bastante aguçadas, e não sei se herdei isso. Só testando hehehe. Bjs