"Tu te tornas eternamente responsável por aquilo que cativas"A-Antoine de Saint-Exupéry
Exupéry

quarta-feira, 8 de agosto de 2007

Por que as pessoas se beijam? Post antigo

Em comemoração ao dia do meu primeiro beijo com meu amor (dia 8), aqui vai um post velho do meu antigo blog, mas muito curioso falando do beijo no sentido evolutivo. Espero que gostem! E para quem já leu, passa a régua ou lê de novo! hehehe BJOCAS!


Por que as pessoas se BEIJAM?

Essa resposta é claro todo mundo sabe, mas há resposta científica para tal pergunta. Quer saber qual? Leia este texto da Live Science (tradução para Português pela On.Demand)

Os olhos dela brilham ao olhar nos seus. Você passa seu braço pela cintura dela e a traz para perto. Ela toca seu rosto e você se inclina, gira sua cabeça — para a direita, é claro — e seus lábios se encontram. A sensação súbita lhe dá pouco espaço para se perguntar “Por que diabos estou fazendo isso?” Claro, a resposta mais simples é que os humanos se beijam simplesmente porque é bom. Mas há pessoas que não se satisfazem com esta explicação. Elas estudam formalmente a anatomia e a história evolucionária do beijo, e são chamadas de "filematólogos”.
Por enquanto estes cientistas do beijo ainda não explicaram conclusivamente como a “pegação” humana começou, mas chegaram a algumas teorias, e mapearam como nossa biologia é afetada por um passional beijo de língua. Uma das grandes questões é se o ato de beijar é aprendido ou instintivo. Alguns dizem que é um comportamento aprendido, datando desde os dias dos ancestrais do homem. Naquele tempo, mulheres podem ter mastigado a comida e passado de suas bocas para as de crianças ainda sem dentes. Mesmo após os dentes nascerem, as mães continuariam a pressionar seus lábios nas bochechas dos bebês para confortá-los. O que apóia a idéia que beijar é um ato aprendido, ao invés de instintivo, é o fato de que nem todos os humanos beijam. Certas tribos pelo mundo simplesmente não beijam, dizem os antropólogos.

Enquanto 90 por cento dos humanos se beijam, 10 por cento não têm idéia do que estão perdendo. Outros acreditam que beijar é certamente um comportamento instintivo, e citam comportamentos similares em animais como prova. A maioria dos animais esfrega focinhos uns nos outros como gesto de afeto, enquanto alguns gostam de “dar uns amassos” como os humanos.
Os bonobos (ou chimpanzés pigmeus, espécie talvez mais próxima do ancestral comum ao homem e ao chimpanzé- proximo post vou falar sobre eles),
por exemplo, inventam toneladas de motivos para fazer a troca de salivas. Eles se beijam após brigas, para se confortarem, para desenvolverem vínculos sociais, e algumas vezes sem nenhum motivo aparente—assim como nós.Atualmente, a teoria mais aceita é que os humanos se beijam porque isso ajuda a farejar um parceiro de qualidade. Quando nossos rostos se aproximam, nossos feromônios “conversam”— trocando informação biológica sobre a possibilidade destas duas pessoas gerarem uma cria forte.

As mulheres, por exemplo, subconscientemente preferem o cheiro de homens cujos genes para certas proteínas do sistema imunológico sejam diferentes dos seus genes. Este tipo de par
poderia gerar crias com sistemas imunológicos mais resistentes, e melhores chances de sobrevivência. Ainda assim, muitos ficam satisfeitos com a explicação que os humanos se beijam porque é bom.

Nossos lábios e línguas estão cheios de terminações nervosas, que ajudam a intensificar todas aquelas sensações atordoantes da paixão, ao pressionarmos nossa boca na de alguém. Experimentar estas sensações, em geral, não nos leva a pensar muito sobre o porquê beijamos— ao invés disso, nos leva a encontrar maneiras de fazê-lo com mais feqüência.

2 comentários:

Vivi disse...

Eu lembro desse post amiga ;)
Bom relê-lo.
Bjokas

nana' hayne disse...

Interessante o post com as explicações científicas e elucidatórias do beijo. (eu não tinha lido ainda).
Mas fico com a resposta do "FAÇO PORQUE É BOM MESMO!" hehehe, sou uma beijoqueira de primeira ordem :)

bjs